Curso sopro sonoro

Os instrumentos de sopro surgiram quando os homens primitivos sopraram ossos e bambus e descobriram que podiam emitir sons similares ao cantar dos pássaros. Em geral, são formados por um tubo, sendo o som produzido pela passagem de ar em seu interior. Quanto maior e mais largo é o tubo, mais grave é o som que produz. Pertencem a esta família as madeiras, instrumentos originalmente construídos em madeira, e os metais.

Madeiras

Clarinete

Possivelmente descendente da charamela, instrumento bastante popular na Europa durante a Idade Média, o clarinete foi desenvolvido e aperfeiçoado nos séculos XVIII e XIX até chegar ao modelo atual. A partir de 1750 começou a fazer parte das orquestras. Atualmente tem sido muito utilizado na música contemporânea, folclórica e popular em todo o mundo. Ganhou popularidade com os jazzistas Benny Goodman e Artie Shaw, sendo também difundido pelas bandas militares. Versátil, apresenta inúmeras possibilidades sonoras devido à sua grande extensão, agilidade e variação de timbres. No Brasil, o clarinete está presente em choros, sambas, serestas e na MPB.

Flauta Transversal

Um dos instrumentos mais antigos que se conhece, apareceu sob várias formas e tipos desde a época pré-histórica. Tem-se notícia de flautas de ossos de mamute que datam de 30 mil anos. Inicialmente era feita de materiais rústicos como o bambu, a cerâmica e a madeira, para depois passar a ser feita de metais como a prata, sendo algumas folheadas a ouro. Devido à sua versatilidade, a flauta está presente em composições eruditas, populares e folclóricas. Uma de suas características mais marcantes é o toque ágil, que permite a rápida execução de passagens sonoras. Seu som tipicamente agudo pode ser doce, delicado ou mais potente.

Oboé

oboe-362723_640Classificado como um aerofone, instrumento musical pelo qual o som é produzido principalmente pela vibração do ar, o oboé pertence ao naipe de Sopro, membro da família das madeiras. Possui um tubo de metal em formato cônico, produzido normalmente com madeiras de ébano ou jacarandá, além de palheta dupla, sua principal característica.

O oboé constitui por si só uma subfamília de instrumentos, que inclui o oboé soprano em Dó (o mais comumente encontrado), o oboé d’amore (um pouco mais grave, em Lá), o corne inglês (mais grave ainda, em Fá), além de outros que são bastante raros, como o oboé musette (ou oboé piccolo, em Fá, geralmente), oboé barítono e oboé baixo. O músico que toca o oboé é denominado oboísta.

Saxofone (alto e tenor)

Surgiu em meados do século XIX, a partir da necessidade de um instrumento que criasse equilíbrio sonoro nas orquestras e bandas militares. Ao contrário da maioria dos instrumentos que têm origens em ossos (flautas) e chifres de animais (trompas), este foi concebido em 1846 por Adolphe Sax. Sua invenção foi incorporada e difundiu-se para outros países. Embora na Europa o sax esteja muito ligado às músicas de câmara e erudita, não costuma fazer parte das orquestras sinfônicas. No século XX, passou a ser fabricado nos Estados Unidos e tornou-se símbolo do jazz. No Brasil ele chegou pelas mãos de militares e religiosos e, no Rio de Janeiro, nossos compositores o “abrasileiraram”. Por sua versatilidade e expressividade, pode ser utilizado nos mais diversos estilos musicais e grupos instrumentai

Metais

Eufônio/Bombardino

Bombardino designa o instrumento também conhecido por eufônio, que quer dizer “soar bem”. Considera-se que o eufônio surgiu na Europa no século XVI e chegou ao Brasil por meio da colonização portuguesa e, principalmente, com os imigrantes italianos. Seu som é doce, aveludado e cheio. Está presente em bandas marciais e grupos religiosos, além de orquestras sinfônicas e grupos de música de câmara.

Trombone

O registro concreto que se tem da sua existência é a partir do século XVI, quando era chamado de sackbut, que literalmente quer dizer “puxe-empurre”. Desde então, não mudou muito seu formato. Atualmente o trombone está presente em diversas formações, como orquestras sinfônicas, bandas e big bands. Tem um som robusto e cheio, possibilitando interpretar passagens musicais melodiosas e, se necessário, tempestuosas. Um efeito sonoro muito interessante que produz chama-se glissando, quando o músico continua a soprar enquanto move o êmbolo (vara), escorregando de uma nota para outra.

Trompa

Chifres, presas de animais e conchas eram os instrumentos que antecederam a construção da trompa em metal. Composto por um tubo com certo comprimento, o principal ancestral da trompa moderna era passado em volta do ombro e desembocava em uma campana aberta, sendo usado para chamar a atenção e dar toques e sinais durante a caçada. O primeiro tipo de trompa a ser incorporado à orquestra nos fins do século XVII era muito semelhante ao acima descrito. O trompista moderno usa a mão esquerda para controlar as três válvulas rotativas. O instrumento é geralmente afinado em Fá e Sib, podendo mudar de uma afinação à outra por intermédio de uma quarta válvula rotativa acionada pelo polegar. Curiosidade: O berrante, usado para conduzir a boiada, é um ancestral da trompa.

Trompete

O trompete como conhecemos hoje surgiu no final do século XVIII, mas os primeiros instrumentos datam de mais de dois mil anos. Uma das grandes transformações pelas quais passou foi a incorporação de três válvulas a pistão, o que deu ao instrumento a capacidade de executar composições diversas. No início do século XX, com o surgimento e a expansão do jazz, o trompete tornou-se muito popular, já que é um dos principais representantes deste estilo. Costuma estar presente em diversas formações, sejam orquestras sinfônicas, big bands, grupos de música popular, quintetos de metais, coretos de praça ou grupos de choro. De acordo com a situação, o trompete pode produzir sons ásperos, sinistros, brilhantes ou agressivos.

Tuba

É o membro mais jovem da seção dos metais, tendo sido inventado por volta de 1820. A tuba é construída em diversos tamanhos e alturas, tem de três a cinco válvulas e executa as notas mais graves. O diâmetro interno, amplo e cônico, e o bocal com o formato de taça conferem à tuba um timbre redondo, cheio, rico e muito grave.

Curiosidade: O Sousafone é um tipo de tuba que é apoiada nos ombros e a campana direcionada para frente. Foi idealizado por John Philip Sousa, compositor norte-americano, considerado o Rei das Marchas, que necessitava de um instrumento capaz de produzir sons graves durante a marcha.

 

Open chat